Slider[Style1]

Style2

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style5

Uma menina de 12 anos, de Goiânia, capital de Goiás, denunciou à polícia que era abusada sexualmente pelo pai e forçada a repetir com ele as cenas de sexo que viam nos filmes pornográficos que o homem a obrigava a assistir. O caso foi descoberto quando a menina, depois de ser violada brutalmente pelo pai mais uma vez, ganhou coragem para denunciar os abusos, e o homem foi preso.

A menina contou à inspectora Simelli Lemes de Santana, da Polícia Civil (Judiciária) de Goiânia, que comanda a investigação, que o pai, que segurança particular e é separado da mãe dela há anos, sempre que a levava para casa dele obrigava-a a assistir a filmes de sexo.

Depois, escolhendo as cenas mais escabrosas, o homem, de 38 anos, alegando a sua autoridade de pai e usando ameaças, exigia que ela agisse como se fosse a atriz pornográfica e fizesse o mesmo que vira no filme. A pré-adolescente contou que o pai começou a abusá-la há dois anos, quando tinha apenas 10 e passou a levá-la para casa dele para passar os fins-de-semana. Apesar de ter outros filhos com a mãe da menina, o segurança fazia questão de levar apenas ela, o que causava uma certa estranheza, mas nunca se imaginou que fosse para cometer os abusos sexuais.

O último abuso ocorreu, cruelmente, no dia em que a menina fez 12 anos, em Junho. O pai impediu-a de comemorar o aniversário com o resto da família, levou-a como sempre para casa dele e voltou a violá-la.

O sofrimento inflingido nesse dia tão especial fez a menina ganhar coragem para denunciar o horror que vivia há dois anos e a mãe, ao tomar conhecimento da situação, foi imediatamente à polícia. Exames médicos revelaram marcas de violência sexual antigas e outras recentes na pré-adolescente e agora os resíduos encontrados no seu corpo vão ser comparados ao DNA do pai, que nega tudo.

Correio da Manhã

«
Recente
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Faça um comentário

Comentários desrespeitosos não serão tolerados. Antes da publicação seu comentário passa por avaliação, sujeito a aprovação ou não.

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal da pessoa responsável pelo comentário. O Santa Rita em Foco não se responsabiliza.


Top